terça-feira, 15 de setembro de 2009

Fuga


Não teve como esconder algo que estava estampado em seu rosto.
Não conseguiu fingir por muito tempo.
Ainda não sabia se estava no caminho certo,
Por mais que as evidências fossem claras!
Tinha chances de voltar, mas preferiu continuar
Durante o percurso caiu muitas vezes, machucou-se.
Sentiu tanto frio, que não soube se conseguiria suportar.
A solidão, inimiga indesejável, esteve presente a maior parte do tempo.
Procurou por abrigo, mas não o encontrou
Teve pressa, sentiu- se sufocada, por diversas vezes perdeu o fôlego!
Mas já não adiantava correr
Por mais que se distanciasse, estaria sempre perto:
Aquilo que a fazia fugir estava nela mesma.


Ana Claudia Machado


1 comentários:

Volúpia disse...

nossa que bonito!!!